domingo, 15 de outubro de 2017

Tag: 15 fotos

Amo responder tags, vivo procurando alguma para fazer e atualizar o blog, mas como podem notar anda difícil encontrar uma. Essa deu um pouco de trabalho por conta da montagem.

A seleção de cada foto é através de um tema e em seguida uma breve explicação sobre o motivo da escolha, a maioria eu peguei no Instagram mesmo: @annekawata

  1. Amo: puro amor, meu treinador e minha amiga Ohana me abraçando juntos, foi inesperado e dá para perceber o quanto estava feliz;
  2. Odeio: se não bastasse a péssima qualidade da imagem, eu ainda coloquei um efeito horrível;
  3. Triste: Caramela morreu muito cedo e eu fico triste quando lembro seus últimos momentos, apesar de não ter presenciado;
  4. Feliz: festa de aniversário surpresa no Ibirapuera;
  5. Foto atual no Whatsapp: essa não precisa de explicação;
  6. Amava antes e agora odeia: amava porque é o registro da minha primeira participação em corridas de rua, odeio porque encurtei o comprimento da medalha para caber na imagem e acabou ficando muito estranha;
  7. Última viagem: Saquarema/RJ para visitar um amigo muito especial;
  8. Gosto em segredo: como é segredo, continuará assim;
  9. Antiga favorita: gosto dessa foto, do look e sinto falta dessa galocha;
  10. Criança: foto preferida da infância com o amor da minha vida;
  11. Selfie favorita: atual do meu perfil no Facebook;
  12. Foto para o meu funeral: pode ser qualquer uma bem apresentável;
  13. Foto com amigos: amizade de 22 anos;
  14. Roupa que adora: não é das mais adoradas, mas gostei muito do conjunto;
  15. Última foto do Instagram: título autoexplicativo

sábado, 9 de setembro de 2017

A minha, a sua e a nossa (?) amizade

Nenhum relacionamento pode ser mantido se não houver reciprocidade, e hoje não estou falando de amor, mas sim de amizade.

Costumo dizer que eu não me afasto de ninguém, as pessoas me afastam. Se me sinto desvalorizada e percebo indiferença, como posso continuar mantendo o laço se só parte do meu lado?

Amizades foram desfeitas, outras tentam sobreviver,  algumas nasceram, prometeram muito, mas seguem perdendo forças.

Em todos os casos sigo de consciência tranquila, porém chateada. Sempre ofereço o meu melhor, não costumo falar da boca para fora, ouvi tanto discurso bonito e nos meus piores momentos me encontrei totalmente sozinha.

Isolada, se não te procuro, se te cortei, tudo tem um motivo e dessa vez não sou eu, é você. Eu sempre estive aqui, se falo algo, cumpro. Sem falsas promessas.

Meu carinho, minha doação, minha amizade é para valer. Não estou só nos momentos bons e de calmaria.

Reconheço e valorizo quem eu gosto, quero realmente levar junto comigo e não deixar pelo caminho.

Tantos acontecimentos, sentimentos, confusão, pressão aqui dentro, não consegui me expressar como gostaria, joguei um punhado de palavras somente para aliviar um pouco.

quinta-feira, 15 de junho de 2017

10 músicas que estou viciada no momento


Sou movida a música. Artista, ritmo e gênero variam de acordo com o momento, humor e ocasião, mas costumo preferir aquelas que quando tocam é praticamente impossível ficar parada. Para mim essas são as melhores músicas.

Listei as dez mais ouvidas do momento, uso principalmente para correr, entretanto a vontade maior é a de ficar dançando loucamente toda vez!



Observação: não consegui adicionar os vídeos originais das músicas

quarta-feira, 14 de junho de 2017

Compulsão alimentar


Sempre quando comento com alguém sobre sofrer com compulsão alimentar, ninguém leva a sério e muito menos acredita. Talvez seja por ser considerada muito magra, mas não tenho e nunca tive anorexia ou bulimia.

Esporadicamente consigo manter certo controle sobre a minha alimentação, mas me sinto vulnerável a ter a qualquer instante, episódios compulsivos.

Desconto todos os sentimentos negativos nas comidas.

Como muito rápido, em grandes quantidades e só consigo parar quando os alimentos acabam ou quando começo a passar mal.

Vira um ciclo difícil de sair, acabo engordando e me sentindo pior ainda. E continuo a comer descontroladamente.

No momento tenho ela sob controle e espero continuar assim. O mais complicado é esse meu combo: depressão, ansiedade e compulsão alimentar.

Me sinto uma bomba prestes a explodir a qualquer momento... Estou bem, mas não sei até quando.

terça-feira, 13 de junho de 2017

Uma foto qualquer, palavras aleatórias, oi!


Estava com vontade de postar algo por aqui, até escrevi rascunho de um desabafo qualquer, pensei em responder uma tag, mas a verdade é que nenhuma das ideias foi para a frente por falta de inspiração.

Gosto muito desse blog, tenho muitas lembranças que gosto de ter registradas para rever. Ele anda abandonado, mas nunca esquecido, não quero acabar com ele.

Então resolvi publicar qualquer coisa mesmo, só para dar um oi e tirar a poeira. Eu e ele seguimos vivos, mesmo que ninguém vá ler.

A ideia de ter uma gaveta virtual é justamente essa, ir jogando coisas aleatórias... Quantas vezes não guardamos algo que pensamos "um dia vou precisar", e aí esse dia nunca chega e na primeira limpeza descartamos.

Hoje não acrescentei nada de relevante nessa minha gaveta, mas eu precisava matar essa vontade e saudade desse meu cantinho na internet.

Talvez volte nos próximos dias, sigo pensando em algo para atualizar este espaço.

domingo, 5 de fevereiro de 2017

Break Free

Quando entrei para o mundo da corrida vivenciei tudo muito intensamente. 5,10,15 e 21 km conquistados um atrás do outro.

Me alertaram para o risco de overtraining, mas eu estava tão feliz, me fazia tão bem... Não sentia nenhum exagero da minha parte, a evolução ocorreu naturalmente.

E então acabei me lesionando, passei por 3 médicos, tomei uns 4 anti-inflamatórios diferentes, fiz ultrassom e estava tudo direitinho.

Daqui a 2 semanas poderá voltar a treinar e correr disse o primeiro médico. Em 21 dias estará recuperada e poderá correr a São Silvestre, sem dúvidas! Sentenciou o segundo médico.

O tempo foi passando e nada de melhorar, eu mal podia andar e como poderia correr?! (Já completei 2 meses parada).

E então assisti esse vídeo, a história é bem diferente da minha, mas o sentimento é o mesmo.


Tradução perfeita de como eu me senti durante todo esse tempo sem poder correr. Outro dia vi essa frase: "Não corro para esquecer a vida, mas para lembrar que ela existe".



quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Meu relicário

No começo do ano passado fiz um post falando sobre essa pulseira com relicário, passei muito tempo desejando e fazendo compras imaginárias.

Perdia um tempão olhando todos os charms, escolhia alguns e montava uma pulseira, perdi até a conta de quantas vezes fiz isso.

http://www.bysorelle.com.br/


E então nesse ano, finalmente comprei a minha! Selecionei 4 charms por receio de não caber e quando chegou percebi, ainda havia espaço para mais um #chateada

Queria muito o livrinho de receitas, o problema nem é o preço (custa 6,50 cada), mas o tamanho minúsculo dele. Imagina fazer o pedido só com isso?!

Sobre as minhas escolhas: Letra M, inicial do nome de uma pessoa muito importante e especial na minha vida. Coração com silhueta de mãe e filha, há 10 anos perdi a minha mãe e a saudade ainda dói demais. Cristal lilás de coração representando o amor. E o tênis significa minha paixão pela corrida.

Ah, e a florzinha rosa veio de brinde.

O mais legal são as diferentes formas de personalizar, além de pulseira tem corrente e chaveiro. Se não quer esse formato redondo pode escolher gota ou coração.

Prateado, dourado, rosê e preto são as opções de cores. Tem plaquinhas com palavras escritas para usar como fundo, pedrinhas, pérolas ou cristais podem acompanhar os charms (são tantos modelos diferentes para escolher!). Outra opção é comprar só o relicário e colocar uma fotinho.

Quem quiser dar uma olhada no site onde comprei é só clicar na imagem.

terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Almofadas para alfinetes

Eu não sei costurar, mas tenho uns kits para emergências. Alguma coisa ou outra sempre precisa fazer, como pregar um botão, costurar alguma parte solta, fazer a barra da calça, etc.

E assim vamos nos virando, para não prender a agulha na cama e no sofá e depois esquecer onde estava, a melhor coisa é ter uma almofadinha e deixar todas as agulhas e alfinetes em um lugar só.

Quando vi esses três modelos super divertidos amei demais a criatividade, fiquei querendo!

https://www.amazon.com/Fred-DESK-DONUT-Push-Holder/dp/B01LYJLWY5/ref=as_li_ss_tl?ie=UTF8&qid=1481676323&sr=8-1&keywords=Desk%2BDonut%2BPushpins&linkCode=sl1&tag=canyougetthrough-20&linkId=3883174fe84b70fdff7b9b03d2c37b20&th=1


sábado, 28 de janeiro de 2017

Meu maior sonho (de corredora) do momento

Primeiramente, não se trata de um desejo meramente consumista. Tem toda uma história por trás, tudo começou quando eu conheci a Adidas Runbase, então comecei a treinar, expliquei todo o meu amor pela corrida aqui e a minha gratidão ao meu treinador.

Quem me conhece ou me segue no Instagram (@annekawata) já percebeu o quanto estou apaixonada pela Adidas, a marca me conquistou totalmente. 

Me tornei corredora na Runbase, dos 5 km aos 21 km em menos de um ano! Se antes eu não conhecia e nem ligava para tênis, agora é bem diferente.

Especialmente para quem corre a Adidas focou no amortecimento, estabilidade e leveza. E um grande diferencial: a tecnologia Boost. São milhares de cápsulas de energia visíveis que se acumulam e liberam energia infinita cada vez que o pé toca no chão.


Vários modelos possuem essa entressola, inclusive eu tenho o Supernova Glide Boost, mas agora estou desejando demais, demais, demais um Ultraboost. Ele é o que possui o maior amortecimento e propulsão de todos.


quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Bolo de chocolate (sem ovos, leite e manteiga)

Primeiro post  de 2017! Quem é vivo sempre aparece, dessa vez sem conversa e com uma gostosura, super fácil de fazer e sem sujar muita louça porque é só colocar todos os ingredientes direto na forma do bolo.



Ingredientes
  • 3 xícaras (chá) de farinha de trigo
  • 1 xícara (chá) de açúcar 
  • 6 colheres (sopa) de chocolate em pó
  • 2 colheres (chá) de bicarbonato de sódio
  • 2 colheres (chá) de fermento em pó
  • 160 ml de óleo 
  • 480 ml de água
  • 2 colheres (sopa) de vinagre
  • 2 colheres (chá) de essência de baunilha

Modo de Preparo
  1.  Pré-aqueça o forno, unte a forma de bolo e misture nela mesma todos os ingredientes secos;
  2. Com uma colher abra 3 depressões, em cada uma delas adicione separadamente o: óleo, o vinagre e a essência de baunilha;
  3. Acrescente a água e misture tudo sem pressa;
  4. Coloque no forno em temperatura média (180°C) por 20-25 minutos ou até a massa secar (teste com um palito)

Para ficar ainda mais gostoso faça também uma cobertura de chocolate (sugestão: ganache). 

Eu não fiz porque resolvi experimentar essa receita justamente por não levar ovos, leite e manteiga. 

No dia não tinha nenhum desses ingredientes em casa e eu estava com preguiça de sair para comprar, o resultado foi ótimo! Não imaginava que ficaria tão gostoso e levinho. Receita aprovada!
 

Related Posts with Thumbnails