domingo, 27 de novembro de 2016

Tag: emocional


Peguei essa tag no canal da Karol Pinheiro, ela escolheu 3 estados emocionais e respondeu 10 perguntas relacionadas a eles. Eu vou responder somente sobre um.

Escolhi: ansiedade, pois sou praticamente ela em pessoa. Aliás, recomendo a leitura desse texto, explica tudo perfeitamente.

1. Qual cor você associa com esse estado?
Laranja. Chama a atenção, mas não de um jeito positivo.

2. Canção que você relaciona com esse estado?
Qualquer uma muito agitada e contínua

3. Pessoa com quem vive esse estado?
Todos que me deixam esperando por muito tempo

4. Tweets que faz quando sente esse estado?
Vários tweets seguidos, inquietação em mais de 140 caracteres!

5. Qual comida te lembra ou te faz sentir esse estado?
Petiscos, porções. Você vai comendo um atrás do outro.

6. Animal que te lembra esse estado?
Beija-flor

7. O que te deixa nesse estado?
A espera e o pensamento do que está para acontecer

8. O que mais odeia quando se sente nesse estado?
Ficar esperando por muito tempo

9. Filme que associa a esse estado?
Qualquer um que tenha muita enrolação

10. Expectativa quando se encontra nesse estado?
Receber um abraço. Gesto simples que ajuda demais.


terça-feira, 15 de novembro de 2016

Por que eu corro?

 
Eu nunca fui uma pessoa sedentária, a minha vida inteira sempre estive fazendo algum tipo de exercício.

Joguei muito vôlei, fiz natação, amo dançar, bicicleta ergométrica, elíptico, jump, musculação... Tudo isso porque gosto de estar em movimento.

Todo esse tempo carreguei um desejo enorme pela corrida, nem sei de onde surgiu essa vontade. Em várias conversas me pegava dizendo: sonho em correr a São Silvestre.

Falava isso e ao mesmo tempo pensava em como era impossível. Muito distante da minha realidade.

Pesquisei grupos de corrida para iniciantes no meu bairro e não encontrei nada, procurei algum amigo para correr junto, também nada. 

E então um dia soube da existência da Adidas Runbase, criei coragem e fui conhecer a casa. Me inscrevi (e comecei a treinar) no final de abril e desde então nunca mais parei.

Muitas pessoas começam a correr para emagrecer, ficar e/ou manter a forma, ter uma vida mais saudável, ser fitness, etc.

Agora, no meu caso, eu corro por um único motivo: porque me faz feliz! 

Cada km a mais, cada subida percorrida, cada prova que participo é uma felicidade indescritível.

Através da corrida conquistei coisas que me pareciam impossíveis, consegui ir me superando e evoluindo tão rápido e tão naturalmente. Mal podia acreditar em cada passo dado.

Estou viciada mesmo, mas é um vício bom. Nunca me senti tão viva.  

Já corri com dor, na chuva, no frio e no calor. Sem contar em acordar e sair quando o sol ainda nem apareceu e está tudo escuro ainda. Vários sacrifícios feitos com um enorme sorriso no rosto.

Correr para mim foi renascer, reencontrei algo perdido. A vontade de continuar, o brilho no olhar.

Depressão e compulsão alimentar podem não ter desaparecido, mas perderam suas forças na medida em que eu ganhei as minhas, correndo.

segunda-feira, 14 de novembro de 2016

Desabafar para não sufocar


 Minha história com blog é antiga, comecei praticamente junto com seu surgimento, como leitora. 

Conheci um (blog) muito especial, me identifiquei logo de cara com a blogueira.

Acessar aquela página fazia parte da minha rotina, cada vez mais me sentia próxima. Era como se fosse uma amiga e nem havia qualquer tipo de contato.

O tempo foi passando, o blog e a blogueira já faziam parte da minha vida. Criei muito carinho e admiração. Até me tornei amiga (eu acreditava).

Cada contato, comentário respondido e encontro era uma alegria imensurável. Fazia questão de comentar em todos os posts para prestigiar o trabalho e demonstrar todo meu apreço.

Passaram-se muitos anos assim. Da minha parte sempre foi sincero, verdadeiro e muito especial.

A partir de um dia nesse ano, senti algo estranho, poderia ser impressão minha, mas o sentimento acabou se confirmando. Passei a ser ignorada.

Tentei entrar em contato para conversar e compreender tal situação. Odeio coisas mal resolvidas, não importa se o desfecho é positivo ou negativo, eu preciso esclarecer e colocar um ponto final.

Nada me deixa mais irritada do que carregar dúvidas e suposições. 

O que terá levado uma pessoa tão estimada por mim começar a me ignorar de repente? E por que não tenho direito nem de saber o motivo?

Não tenho palavras para expressar o quanto estou triste e decepcionada, vejo a pessoa toda fofa com suas leitoras que viraram amigas. Respondendo tag no YouTube mostrando ser tão madura e bem resolvida ao lidar com desentendimentos.

E na realidade faz totalmente o contrário.

Tantos anos de carinho, admiração, amizade (pelo menos da minha parte), destruídos de repente e de uma vez só, de uma maneira bizarra.

Precisava ser assim? Já pensei em quais atitudes minhas poderiam ter provocado isso e nenhuma delas justifica tal desprezo (parei de comentar no blog, saí do grupo de moderadoras no Whatsapp e da moderação da página no Facebook). 

Foi tão grave qualquer um desses comportamentos? E se não foi nenhum deles, não poderia conversar sobre?  Sou uma pessoa tão ruim assim que não mereço ao menos saber o que aconteceu?

Só quero estar enganada... 


Ps: a imagem do post é direcionada para mim mesma.

Related Posts with Thumbnails