sábado, 17 de dezembro de 2016

Ao meu treinador, minha gratidão



Já falei aqui do quanto a corrida está sendo importante na minha vida, e agora senti vontade de escrever um pouco sobre o grande e principal responsável por trás disso tudo: o meu treinador.

Sempre bem humorado, me recebia com sorriso no rosto. Mesmo quando só tinha eu no dia do treino ele estava lá pronto para me orientar e até treinava junto comigo.

Ele foi parte fundamental, desde o meu começo até agora. Me incentivando, apoiando, aconselhando, orientando e principalmente torcendo e comemorando cada pequeno avanço.

A cada conquista minha eu mal podia esperar para contar para ele e dividir a alegria sentida, quando ficava insegura ou incerta suas palavras é que me davam confiança para seguir.

Por uma infelicidade acabei me lesionando, sofri demais por cada treino perdido. Principalmente os dados por ele. Felizmente consegui voltar na última semana de funcionamento da Runbase e pude treinar duas vezes com meu treinador preferido.

E então quando fui me despedir disse: "até o ano que vem" e então a resposta veio como um soco: "esse é o meu último dia".

A minha ficha caiu juntamente com muitas lágrimas somente no caminho para casa. É inevitável não sentir um aperto no coração, um vazio... Mas devo ficar feliz porque ele está batalhando por novos sonhos e objetivos e eu tenho certeza absoluta do quanto ele terá muito sucesso em qualquer caminho escolhido.

Queria muito ter escrito algo bem bonito, que conseguisse expressar todo o meu carinho, admiração e gratidão, mas as palavras me faltam.

Não nego que estou triste pensando em quando voltar a treinar na Runbase e não encontrá-lo mais, não poder contar sobre minhas próximas corridas, dúvidas ou um papo qualquer.

Sentirei falta de tudo, das suas brincadeiras, das suas contagens incentivando cada um a dar o máximo de si, de toda sua atenção e preocupação, do seu cuidado, de estar sempre disposto a ajudar, do seu sorriso e das suas risadas.

Rafa, muito obrigada por esse 2016! Sem você ele não teria sido tão incrível.

domingo, 27 de novembro de 2016

Tag: emocional


Peguei essa tag no canal da Karol Pinheiro, ela escolheu 3 estados emocionais e respondeu 10 perguntas relacionadas a eles. Eu vou responder somente sobre um.

Escolhi: ansiedade, pois sou praticamente ela em pessoa. Aliás, recomendo a leitura desse texto, explica tudo perfeitamente.

1. Qual cor você associa com esse estado?
Laranja. Chama a atenção, mas não de um jeito positivo.

2. Canção que você relaciona com esse estado?
Qualquer uma muito agitada e contínua

3. Pessoa com quem vive esse estado?
Todos que me deixam esperando por muito tempo

4. Tweets que faz quando sente esse estado?
Vários tweets seguidos, inquietação em mais de 140 caracteres!

5. Qual comida te lembra ou te faz sentir esse estado?
Petiscos, porções. Você vai comendo um atrás do outro.

6. Animal que te lembra esse estado?
Beija-flor

7. O que te deixa nesse estado?
A espera e o pensamento do que está para acontecer

8. O que mais odeia quando se sente nesse estado?
Ficar esperando por muito tempo

9. Filme que associa a esse estado?
Qualquer um que tenha muita enrolação

10. Expectativa quando se encontra nesse estado?
Receber um abraço. Gesto simples que ajuda demais.


terça-feira, 15 de novembro de 2016

Por que eu corro?

 
Eu nunca fui uma pessoa sedentária, a minha vida inteira sempre estive fazendo algum tipo de exercício.

Joguei muito vôlei, fiz natação, amo dançar, bicicleta ergométrica, elíptico, jump, musculação... Tudo isso porque gosto de estar em movimento.

Todo esse tempo carreguei um desejo enorme pela corrida, nem sei de onde surgiu essa vontade. Em várias conversas me pegava dizendo: sonho em correr a São Silvestre.

Falava isso e ao mesmo tempo pensava em como era impossível. Muito distante da minha realidade.

Pesquisei grupos de corrida para iniciantes no meu bairro e não encontrei nada, procurei algum amigo para correr junto, também nada. 

E então um dia soube da existência da Adidas Runbase, criei coragem e fui conhecer a casa. Me inscrevi (e comecei a treinar) no final de abril e desde então nunca mais parei.

Muitas pessoas começam a correr para emagrecer, ficar e/ou manter a forma, ter uma vida mais saudável, ser fitness, etc.

Agora, no meu caso, eu corro por um único motivo: porque me faz feliz! 

Cada km a mais, cada subida percorrida, cada prova que participo é uma felicidade indescritível.

Através da corrida conquistei coisas que me pareciam impossíveis, consegui ir me superando e evoluindo tão rápido e tão naturalmente. Mal podia acreditar em cada passo dado.

Estou viciada mesmo, mas é um vício bom. Nunca me senti tão viva.  

Já corri com dor, na chuva, no frio e no calor. Sem contar em acordar e sair quando o sol ainda nem apareceu e está tudo escuro ainda. Vários sacrifícios feitos com um enorme sorriso no rosto.

Correr para mim foi renascer, reencontrei algo perdido. A vontade de continuar, o brilho no olhar.

Depressão e compulsão alimentar podem não ter desaparecido, mas perderam suas forças na medida em que eu ganhei as minhas, correndo.

Related Posts with Thumbnails